image

Blog

"Conhecimento não é aquilo que você sabe,
mas o que você faz com aquilo que você sabe."
Aldous Huxley

Conheça a nova Grande Muralha da China

deserto de Gobi, que fica no norte da China / Mongólia Meridional tem cerca de 1,3 milhão de km², isso porque ele não para de crescer.

Devido a desertificação, cerca de 3.600 km² de terra arável, ou seja, que poderia ser usada para plantação entre outras coisas, tem se tornado deserto. A cada ano isso vai crescendo mais.

Mas a China está tomando providências contra isso, e da melhor forma: com árvores

Segundo a BBC, a China tem construído o que chamam, informalmente, de a “Grande Muralha Verde”, uma referência nada sutil a Grande Muralha da China, ponto turístico do país.

Esse projeto de reflorestamento começou em 1978, e não pretende acabar tão cedo. O objetivo dela é transformar as áreas áridas em locais para habitação, e até mesmo, agricultura.

O plano dessa Grande Muralha tem como plano a criação de 4,480 km de árvores nas fronteiras de Gobi

O governo lançou um plano com duas vertentes: uma é usar a semeadura aérea para cobrir grandes extensões e pagar para que agriculturores plantem árvores e arbustos em áreas que necessitem de mais atenção.

Um sistema de supervisão de 1,2 bilhões também foi investido para supervisão e mapeamento terrestre.

Uma agência de notícias chinesa relatou em 2007 que mais de 20% das terras afetadas pela desertificação foram aproveitadas e a erosão do solo está sobre controle em 40% do solo que sofria com o problema”.

Mas em 2014 o Economist observou que muitas das árvores estavam murchando com as condições secas e quentes.

Em 2011 a BBC noticiou que o processo de arborização está acontecendo – mas que levará cerca de 300 anos para recuperar as terras já tomadas pelo deserto de Gobi.

De qualquer forma, a China pretende continuar o projeto. Com um objetivo de atingir a meta em 35 anos.

Fonte: <upworthy.com>

Publicado em Engenharia Ambiental, Inovação, Meio Ambiente no dia 16/11/2018